A tevê que te vê
20/01/2005
(Informação e espetáculo) Livros analisam, do ponto de vista semiótico, processos de significação e de sentido na produção televisual. São lições de François Jost, na Unisinos, e ensaios metodológicos, por Elizabeth Bastos Duarte (por Eduardo Portanova).



Dois temas, tradicionalmente, têm interessado alguns pesquisadores da televisão: recepção televisiva e telenovelas. Sobre aspectos da produção na tevê, porém, há poucos estudos em andamento, segundo a professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação, Elizabeth Bastos Duarte. Essa lacuna motivou o grupo de pesquisa que ela coordena na Unisinos, o de Processos de Significação Televisual: Gêneros e Formatos, a lançar, em parceria com a Editora Sulina, de Porto Alegre, a Coleção Estudos sobre o Audiovisual. Um dos títulos já é referência nos estudos de televisão.

Trata-se do primeiro livro de autoria de François Jost - conhecido como um dos maiores estudiosos de audiovisual da Europa - a ser lançado no Brasil: Seis Lições sobre Televisão. O conteúdo do livro são as aulas de Jost na Unisinos, em abril de 2004, no curso A Televisão do Cotidiano: entre a Realidade e a Ficção. Conforme Elizabeth, que está lançando pela mesma coleção um livro de sua autoria e que se intitula Televisão - Ensaios Metodológicos, 99% da população brasileira tem um aparelho de tevê em casa, mas, apesar disso, o estudo sobre a produção televisiva ainda é incipiente, o que só reforça a importância dos títulos da coleção.

"Aquele percentual é maior do que o de residências com geladeira", compara a pesquisadora. Segundo ela, é importante para os brasileiros, e bem mais do que para a população de Primeiro Mundo - que conta com outras formas de entretenimento -, um aprofundamento analítico dos aspectos produtivos da televisão. Apesar de não ser ainda grande, o número de teóricos de porte que trabalham sobre televisão tem aumentado, e muito por influência de Jost, professor de Semiologia Audiovisual na Sorbonne Nouvelle.

A presença de Jost resultou, ainda, em convênio entre o PPG em Comunicação da Unisinos e o Centre d`Études des Images et des Sons Médiatiques (Ceisme), da Université - Paris III, dirigido por ele, através da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), para intercâmbio de professores. Assim, está garantida a vinda do autor de L´Empire du Loft (2003) - que estuda o programa Loft Story, a versão francesa do Brig Brother - à Unisinos em 2005.

Este ano, também, Elizabeth viaja à França dentro da programação do convênio. A professora lembra que um terceiro título do selo sobre o audioviosual será lançado em outubro: Os Anos de Chumbo: Mídia, Poética e Ideologia no Período de Resistência ao Autoritarismo Militar (1968-1985), de Arlindo Machado. "Estamos lançando nomes que confiram respeitabilidade à coleção", afirma Elizabeth. E Jost, por exemplo, oferece uma reflexão séria, na opinião de Elizabeth, sobre os modos de operação televisivos.




Link: http://www.ju.unisinos.br/detalhes_materia.asp?Editoria=pesquisapos&CodMateria=2890

Voltar | Versão em PDF | Indicar

 

Os dados pessoais fornecidos pelos usuários do site www.editorasulina.com.br são assegurados pela seguinte Política de Privacidade